Casa dos Ventos faz emissão de títulos verdes

09/05/2022

A Casa dos Ventos realizou a primeira emissão de títulos verdes voltados para financiar projetos que gerem benefícios ambientais com o uso sustentável dos recursos naturais. As debêntures verdes somam R$ 430 milhões e vão financiar parte da expansão do Complexo Eólico Rio do Vento – um investimento de R$ 4,9 bilhões, e conta, ainda, com o financiamento do BNDES e do BNB. “O mercado financeiro, como reflexo da importância e da urgência da transição energética mundial, tem valorizado cada vez mais os títulos com atributos ambientais”, explica Ivan Hong, diretor Financeiro da Casa dos Ventos. “As debêntures que estamos emitindo contribuem para viabilizar um projeto com impacto positivo comprovado e são uma oportunidade de investimento sustentável”, complementa. 

As debêntures verdes receberam rating AA pela Fitch Ratings e serão negociadas na B3. A oferta foi coordenada pelos bancos BTG Pactual (coordenador líder), Itaú BBA e BNDES. Esta é a primeira participação do banco público na coordenação de emissão de debêntures. Os títulos terão remuneração semestral e prazo total de 16 anos. Além da avaliação em relação às práticas ESG, a emissão conta com parecer positivo de enquadramento como Título Verde concedido pela consultoria Sitawi, considerando o alinhamento com os Green Bond Principles, critérios estabelecidos pela International Capital Market Association (ICMA). 

As debêntures verdes estão vinculadas a quatro parques eólicos que somam 268 MW de capacidade e têm potencial de geração anual de 1.389 GWh de energia renovável, além de evitar a emissão de 662 mil toneladas de CO2 (gás carbônico) equivalente por ano. O projeto completo de Rio do Vento terá 240 aerogeradores com 1.038 MW de potência instalada quando estiver concluído. O Complexo contribui para ampliar a participação das fontes renováveis na matriz elétrica nacional e evitar emissões anuais de dois milhões de toneladas de CO2 na atmosfera. 

Atualmente, a primeira fase do complexo está em operação, com 504 MW de capacidade, e fornece energia para Anglo American, Braskem, Grupo Moura, Tivit, Vulcabras, entre outros. As debêntures possibilitarão adicionar outros 534 MW em 2023. A energia já está contratada e vai abastecer as operações da Dow e da Rima Industrial. A iniciativa reitera o compromisso assumido pela Casa dos Ventos quando se tornou signatária do Pacto Global da Organização das Nações Unidas (ONU) e trabalha de forma alinhada aos 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS). A emissão das debêntures verdes está diretamente relacionada aos ODS número 7, “Energia Acessível e Limpa”; e o ODS 13, de “Ação Contra a Mudança Global do Clima”.