Sabesp obtém avanços no Projeto Tietê

23/09/2021

A Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp) já levou coleta e tratamento de esgoto a 12,4 milhões de pessoas da Região Metropolitana de São Paulo (RMSP) com o Projeto Tietê. Em 1992, quando do lançamento do projeto, o índice de coleta de esgoto era de 70%, e atualmente está em 92%. Já o tratamento do esgoto coletado saltou de 24%, em 1992, para 83%. Ao todo, a Sabesp investiu US$ 3,1 bilhões nas obras, construindo no período 4.650 km de redes coletoras, coletores-tronco e interceptores de esgoto. 

A SOS Mata Atlântica afirma que a mancha de poluição do Rio Tietê caiu de 500 km, no início dos anos 90, para 85 km atualmente. Em 2020, a mancha tinha 150 km. Além da redução da mancha, houve uma melhoria nos trechos do rio com qualidade boa, passando de 94 km, em 2020, para 124 km neste ano. O trabalho realizado pela Sabesp no Projeto Tietê contribui para a redução da mancha, que apresenta tendência de queda histórica desde a década de 1990, ainda que com flutuações momentâneas. A limpeza de rios não depende apenas do saneamento, mas também do descarte adequado do lixo por toda a sociedade e a coleta regular do lixo pelas prefeituras - ações que colaboram para a melhoria gradativa das águas, assim como o controle do uso e ocupação do solo, principalmente nas várzeas dos rios e córregos. 

Um dos principais desafios para ampliar a infraestrutura de saneamento na RMSP são as ocupações informais, resultado do crescimento desordenado. Para tentar resolver o problema, a Sabesp tem adotado soluções inovadoras para atender bairros e comunidades que cresceram em cima de córregos e rios. Um exemplo é a Comunidade Vietnã, no entorno do córrego Águas Espraiadas e onde a Sabesp já iniciou obras para levar coleta e tratamento de esgoto. Serão beneficiadas mais de 1,2 mil residências com 2,5 km de tubulações.

Outra ação importante é o projeto do Novo Pinheiros, que tem como meta reduzir o esgoto lançado em seus afluentes, melhorar a qualidade das águas e integrá-lo à cidade até o final de 2022. Desde 2019, já foram conectados à rede de esgoto perto de 400 mil imóveis, o que corresponde a 75% da meta de 533 mil imóveis, beneficiando 1,2 milhão de pessoas com saneamento. O programa tem ainda participação de Cetesb, EMAE, DAEE e da Prefeitura de São Paulo. A Sabesp é responsável pelo eixo de saneamento e investe ao todo R$ 1,7 bilhão no programa, beneficiando com mais saúde e qualidade de vida uma população de 3,3 milhões de pessoas na região da bacia do rio Pinheiros em São Paulo, em Embu das Artes e em Taboão da Serra. As obras da Sabesp no programa devem gerar 4,1 mil empregos. 

O Projeto Tietê é um programa de saúde pública e a ampliação de sua cobertura com coleta e tratamento de esgoto contribui para a redução dos índices de doenças de veiculação hídrica. A Organização Mundial da Saúde (OMS) aponta que para cada US$ 1,00 investido em saneamento há uma economia de US$ 4,00 em saúde pública.