Aegea de olho em mais concessões no Ceará

21/02/2022

Após vencer o leilão de concessão de Crato, no Ceará, a Aegea Saneamento pretende ampliar sua participação na região Nordeste. “Os ‘hubs’ regionais vão se formando de forma orgânica, à medida que os projetos vêm a mercado. O Crato é uma operação atraente independente disso, mas a companhia vem trabalhando nesse modelo regional”, afirma Renato Medicis Pimentel. vice-presidente da Aegea e responsável pelas operações no Norte e Nordeste da empresa. 

Atualmente, a Aegea detém os serviços de concessão em Teresina e Timon (MA). O novo contrato no Crato é válido por 35 anos e prevê aportes de R$ 250 milhões para universalizar o serviço de abastecimento de água e coleta e tratamento de esgoto, para atender as novas determinações do Novo Marco do Saneamento. Apenas 32,8% do esgoto é coletado, e menos de 3% recebe tratamento. Com a concessão, a cobertura deverá avançar para 90% e todo esgoto coletado será tratado. “É uma cidade bem estruturada, e já tem um nível alto de cobertura de água [que não faz parte da concessão]. Nosso grande desafio é trazer uma nova realidade do ponto de vista de esgoto. Além dos investimentos, há um trabalho de aproximação e educação da população”, afirma Medicis. 

O grupo estuda os leilões de duas Parcerias Público Privadas (PPP) no Ceará, previstas para sair ainda em 2022. A primeira abrange a região metropolitana da capital Fortaleza e a segunda inclui a região metropolitana de Cariri - da qual Crato faz parte. A consulta pública dos dois blocos foi aberta em dezembro de 2021 e, ao todo, estão previstos investimentos de R$ 7 bilhões. “Está na característica da Aegea atuar tanto em blocos como a Cedae quanto em cidades com população reduzida. O que precisamos é de projetos bem estruturados. Muitas concessões municipais estão sendo estruturadas com apoio do BNDES, da Caixa, o que dá mais segurança. Temos olhado esses projetos bem estruturados”, afirma.