10/02/2017 ESGOTO

Vila Velha a caminho da universalização

O Governo do Estado do Espirito Santo assinou contrato de concessão administrativa com a empresa Vila Velha Ambiental, do Grupo Aegea, para ampliação, manutenção e operação do sistema de esgotamento sanitário de Vila Velha, na Região Metropolitana da Grande Vitória. Através de Parcerias-Público-Privadas (PPP’s), o governo pretende agilizar a universalização do sistema de esgotamento sanitário para a população. Vila Velha é o segundo município capixaba a receber este tipo de PPP. O primeiro foi à cidade de Serra. "Temos muito chão pela frente na área do saneamento básico, mas iniciar um plano de investimentos para construir mais de 600 km de rede para coletar e tratar todo esgoto de Vila Velha é uma notícia muito boa em qualquer tempo, ainda mais durante a crise socioeconômica que castiga o país. Aqui estamos dando um salto. Buscamos o capital privado para modernizar a infraestrutura. Não vamos parar por aí. Vamos modelar Cariacica e Viana para realizar uma nova PPP do Saneamento Básico nestes municípios", adiantou o governador Paulo Hartung.

Os investimentos previstos no Plano de Universalização do Saneamento para o município de Vila Velha são da ordem de R$ 684 milhões, aplicados pela companhia e por meio de parceria com o Banco Mundial. Do total, R$ 408 milhões serão implementados pela concessionária nos primeiros dez anos de contrato. Outros R$ 277 milhões serão executados nos próximos cinco anos pela Cesan, por meio do contrato de parceria com o BIRD. O presidente da Cesan, Pablo Andreão, comentou que 30 bilhões de litros de esgoto deixarão de ser lançados no meio ambiente. "Mesmo com os desafios da crise hídrica e econômica estamos conseguindo fazer os investimentos. Serão R$ 600 milhões para Vila Velha universalizar o esgotamento em dez anos. Mas antes disso perceberemos os benefícios", disse.

Outro diferencial segundo o presidente da Cesan será a transformação de seis estações de tratamento de esgoto em duas, que já estarão preparadas para utilizar o esgoto tratado como água de reúso para fins mais nobres como rega de jardins e até uso industrial. O presidente da empresa vencedora do leilão da PPP, Hamilton Amadeo, disse que o grupo está pronto para servir ao Estado. "Nos comprometemos em cumprir o contrato e com o compromisso de trazer investimentos antecipados, além de contratar mão-de-obra local e promover o desenvolvimento", falou. A PPP prevê a ampliação da cobertura atual de esgotamento sanitário de 56% para 98% do serviço em até 12 anos, a implantação de 643 km de rede coletora de esgoto e 62 mil novas ligações.