29/08/2017 ÁREAS DEGRADADAS

Um instituto para ajudar na recuperação

Atuante na área de preservação do meio ambiente desde 2007, Antonio Borges criou o ITRA – Instituto de Tecnologia em Recuperação de Áreas – uma organização ambiental sem fins lucrativos. O bacharel em Direito pela Faculdade de Direito de São Sebastião do Paraíso e com especialização em gestão e em sustentabilidade pela Fundação Getúlio Vargas (FGV) de Belo Horizonte, decidiu criar o ITRA após verificar que o Brasil tem 140 milhões de hectares de áreas degradadas (o equivalente a cerca de 920 mil vezes o tamanho da área da cidade de São Paulo) que poderiam colaborar com o bem estar ambiental. 
 
“Nós nascemos com o objetivo de contribuir constantemente para o bem-estar ambiental, gerando o desenvolvimento de novas técnicas altamente sustentáveis e viáveis para a realidade de cada local em que nossos projetos estejam inseridos”, destaca Borges. Atualmente, o ITRA trabalha com nove áreas de reflorestamentos, que representa uma área de 43 hectares. Cerca de 15 mil mudas já foram plantadas, sendo que 72 mil estão sendo cultivadas e outras 211 mil serão plantadas, resultando no sequestros de 3.291.600 kg de CO² do meio ambiente.
 

Veja também

06/10/2017
DECLARAÇÕES AMBIENTAIS | Brasil e Suécia fecham parceria
19/09/2017
MEIO AMBIENTE | Mata Atlântica e ICMBio gerenciam UC’s
29/08/2017
MONITORAMENTO AMBIENTAL | São Paulo adotará imagens de satélite
31/07/2017
REFLORESTAMENTO | Sabesp aumenta área verde do Cantareira
14/07/2017
MEIO AMBIENTE | CSN rebate acusações do MPF e MPRJ
20/06/2017
ÁREAS DEGRADADAS | Estratégia para evitar desertificação