06/10/2017 ESTIAGEM

Situação crítica para reservatórios do Nordeste

O Grupo de Trabalho em Previsão Climática Sazonal do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (GTPCS/MCTIC) alerta sobre a situação de açudes e reservatórios para os próximos meses. Segundo o documento, o volume de água armazenado em Pernambuco é de apenas 4,8%, e a situação deve se agravar.
 
Segundo simulação de reserva hídrica realizada para reservatórios da Paraíba, Pernambuco, Rio Grande do Norte e Ceará, o volume armazenado, em dezembro, terá uma queda entre 2% e 5%, mesmo que as chuvas ocorram dentro da normalidade das estações. No caso do reservatório Castanhão, no Ceará, as projeções indicam que o volume pode chegar a apenas 2,5% do total da capacidade no início de 2018.
 
“Nos últimos cinco anos, em todos os períodos de chuva no semiárido, choveu abaixo da normal climatológica. Isso afeta a disponibilidade de água para formar a umidade para as chuvas”, explicou a pesquisadora Luz Adriana Cuartas, chefe da Divisão de Desenvolvimento de Produtos Integrados do Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais (Cemaden). “O problema é que os grandes reservatórios estão no semiárido, e eles já estão bastante debilitados por conta do histórico recente.”
 
A previsão climática do MCTIC confirma que a primavera será quente e seca na maior parte do Brasil. A expectativa de chuva abaixo da média deve acontecer em parte das regiões Norte, Nordeste e Sudeste e também no Centro-Oeste. Por outro lado, deve chover mais que o normal em Roraima e no Acre, além de parte do Amazonas.