22/09/2015 NANOFILTRAÇÃO

Petrobras aprova membranas da GE para remover sulfato

A Petrobras aprovou a utilização na nova membrana de nanofiltração da GE para remoção de sulfato de água do mar (ou membrana de nanofiltração SWSR, da sigla em inglês para Sea Water Sulfate Removal). A aprovação referencia a aplicação de injeção de água dessulfatada em poços de petróleo.

A decisão ocorreu após projeto-piloto da membrana de SWSR da GE com base nas especificações da Petrobras. “A validação da tecnologia representa um passo importante não somente para GE e para a Petrobras, mas para toda a indústria de petróleo e gás, beneficiada por uma tecnologia que atende às novas necessidades do setor”, analisa Marcus Simionato, Gerente de Vendas da GE para a América Latina. “A indústria brasileira busca por soluções que equacionem aumento de produtividade com redução de custos associados à manutenção de equipamentos e, a tecnologia da GE, está em total acordo com a nova realidade”.

Com a membrana de SWSR é possível remover o sulfato da água e assim reduzir consideravelmente o risco de incrustação e a corrosão dentro de poços de injeção, evitando o entupimento dos poços e, consequentemente, a recuperação. A membrana também possui alta resistência à criação de depósitos devido ao seu design de três camadas e superfície mais lisa.

A Petrobras aferiu a qualidade da membrana da GE com base na alta rejeição de sulfato (acima de 99,5%). Isto foi avaliado durante um piloto de cinco meses de operação assistida com elementos de 8″, cada um com 440 pés quadrados de superfície de área de filtração, onde o padrão da Petrobras para essa qualificação foi alcançado e até mesmo superado, chegando a 99,8%. “A aprovação da Petrobras reflete a demanda do setor por tecnologias mais eficazes que ajudem a proteger os equipamentos de produção, à medida que as empresas se aventuram em condições mais profundas e de produção mais desafiadora”, disse Yuvbir Singh, Gerente geral de engenharia da GE Water & Process Technologies. “Os produtores de petróleo offshore usam a injeção de água para inundar o campo de petróleo e forçar o óleo para dentro dos poços produtores, mas se a água não estiver na qualidade adequada ela produz incrustações e corrosão, causando o entupimento e acidez no campo. Nosso estudo piloto para a Petrobras mostra que a membrana SWSR oferece aos operadores excelente remoção de sulfato e minimiza a formação de incrustação para ajudá-los a otimizar a produção “.

A nova série de SWSR é um avanço da série DK de membrana de nanofiltração da GE e oferece uma alta passagem de cloreto de sódio na água de permeado para minimizar as pressões de operação. Ela também oferece uma barreira física para todas as partículas suspensas, incluindo bactérias, pirógenos e coloides.

A nova membrana da GE pode ser instalada em sistemas existentes ou em novos sistemas. A GE oferece ainda produtos químicos para a limpeza da membrana e químicas de processo utilizadas em diferentes plataformas em todo o mundo. A nova membrana de SWSR também pode ser usada em conjunto com membranas de osmose reversa da GE existentes, a fim de proporcionar água para escoamento de baixa salinidade, escoamento de polímero e outros métodos de EOR (sigla em inglês para recuperação avançada de petróleo).

Veja também

25/06/2018
ÁGUA PÓTAVEL | Perdas equivalem a 7 mil piscinas olímpicas
15/06/2018
RECURSOS HÍDRICOS | White Martins reduz uso de água nas fábricas
08/06/2018
ÁGUAS E SANEAMENTO | S. J. dos Campos terá parque tecnológico
29/05/2018
ÁGUA PURA | P&G expande programa na Bahia
25/05/2018
SOLOS CONTAMINADOS | Cetem e Petrobras na biorremediação
05/04/2018
RECURSOS HÍDRICOS | Manuais sobre gerenciamento são lançados
05/04/2018
AQUÍFERO GUARANI | Abas desmente privatização
19/03/2018
FORUM MUNDIAL DA ÁGUA | ONU defende soluções baseadas na natureza