06/11/2018 ALUNORTE

Ibama suspende embargo a área

O Ibama suspendeu o embargo da nova área de depósito de resíduos de bauxita (DRS2) da refinaria de alumina da Hydro, a Alunorte. O embargo da Justiça Federal continua em vigor. O órgão ambiental decidiu pela suspensão após analisar as informações solicitadas à Alunorte e a SEMAS - Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Sustentabilidade do Pará. 
 
A decisão de suspender o embargo veio após uma decisão interlocutória concedida pelo Ibama à Alunorte, em 5 de outubro. Essa autorização liberou a empresa para utilizar sua tecnologia de filtro prensa, tecnologia disponível mundialmente para disposição de resíduos de bauxita. O uso do DRS2 combinado à tecnologia do filtro prensa foi à solução sustentável de longo prazo encontrada pela companhia. 
 
A decisão não permite a retomada imediata da fase de testes e comissionamento do DRS 2, pois o embargo da Justiça Federal continua válido. "O novo depósito de resíduos de bauxita, juntamente com o filtro prensa, é a tecnologia de tratamento de resíduos de bauxita mais moderna do mundo. Continuaremos o diálogo com as autoridades para buscar a permissão para utilizar o novo depósito. Isso é fundamental para a sustentabilidade e continuidade das operações da refinaria", diz John Thuestad, Vice-Presidente Executivo da Hydro da área de negócios de Bauxita & Alumina.
 
O DRS2 é construído especialmente para armazenar com segurança os resíduos de bauxita processados pelos filtros prensa. A tecnologia de filtros prensa reduz significativamente a umidade no resíduo, permitindo que seja empilhado a seco. Esta medida reduz a área necessária para armazenamento, além de ampliar a segurança e reduzir a pegada ambiental. O prazo para a suspensão dos embargos que limitam a produção da Alunorte a 50% da capacidade total permanece incerto.