27/01/2017 BIOGÁS

Gás de esgoto vira combustível

A Sabesp adquiriu equipamento alemão que utilizará para transformar o gás do esgoto em combustível para veículos em Franca, interior do estado de São Paulo. 
 
A tecnologia a ser utilizada é uma parceria entre a Sabesp e o Instituto Fraunhofer, da Alemanha. No processo, o biogás gerado no tratamento do esgoto passa por um sistema de remoção das impurezas, umidade e aumento da concentração de metano. O resultado é o biometano, que substituirá a gasolina, álcool e GNV. 
 
A ETE de Franca possui vazão de tratamento de esgoto de 450 litros por segundo e produz em torno de 2.600 Nm³ de biogás. Calcula-se que possam ser produzidos 1.700 Nm³ de  biometano diários, volume capaz de substituir 1.700 litros de gasolina comum a cada dia. A parceria faz parte dos investimentos da Sabesp em pesquisa científica e inovação.
 
“Esse projeto traz uma série de benefícios, como a redução das emissões de gases de efeito estufa, inovações no saneamento, o domínio das tecnologias implantadas e uma significativa redução de gastos com combustível. Além disso, abre várias possibilidades para estudo com outros fins: inserção em redes de companhias de gás, produção de energia elétrica e fornecimento de biogás para indústrias próximas”, afirma Cristina Knörich Zuffo, superintendente de Pesquisa, Desenvolvimento Tecnológico e Inovação da Sabesp.
 
O combustível alternativo será testado e terá o acompanhamento de órgãos reguladores competentes em 49 veículos adaptados na cidade de Franca. O combustível é renovável, já que sua base é o esgoto produzido pelos moradores, comércio e indústria de Franca. Segundo estimativa da organização ambiental World Resources Institute, cada litro de gasolina emitiria cerca de 2,28  kg de CO2.  Com a experiência, anualmente haverá a redução de aproximadamente 1,5 milhão de toneladas de dióxido de carbono com o reaproveitamento do gás.
 
O investimento no projeto é de R$ 7,3 milhões. O instituto alemão será responsável pela doação de equipamentos para a Sabesp, assistência técnica e acompanhamento das fases de pesquisa. Em contrapartida, a Sabesp realizará as obras para a instalação do equipamento, da linha de biogás e de sistema elétrico e adaptação dos veículos para o biometano, entre outros itens.