CRISE HÍDRICA

Estudo da ESALQ mostra cenário para 2050

Paulo Guilherme Molin, doutor em Recursos Florestais pela Escola de Agricultura “Luiz de Queiroz” (USP/ESALQ), desenvolveu projeto que simula as situações florestais e hídricas para 2050. “Meu projeto surgiu para ser algo prático e aplicado na gestão da bacia do Rio Piracicaba” disse Molin.

“A proposta foi também de analisar a maneira como ambos os fatores podem afetar os serviços ecossistêmicos”. Molin iniciou sua pesquisa analisando imagens de satélites da cobertura florestal na bacia do Rio Piracicaba em três anos diferentes: 1990, 2000 e 2010. Posteriormente, desenvolveu modelos em softwares especializados que possibilitaram avanços em sua proposta inicial.

O software Dinâmica EGO, especializado em modelagem da paisagem, foi utilizado para simular espacialmente a mudança no uso do solo e o modelo Soil & Water Assessment Tool (SWAT), especializado em modelagem hidrológica, para averiguar a influência da mudança de cobertura florestal na regulação e vazão de rios, além de outros aspectos ambientais.

Veja também

10/06/2019
RIO PINHEIROS | Projeto prevê despoluição para 2022
13/03/2019
BACIAS HIDROGRÁFICAS | Córrego Caidor será restaurado
07/03/2019
EXPEDIÇÃO PARAOPEBA | Presença de metais pesados na água
14/09/2018
MATA ATLÂNTICA | Nova crise hídrica pode acontecer
14/09/2018
RECURSOS HÍDRICOS | Aprovado rateio de água do São Francisco
17/08/2018
BACIAS HIDROGRÁFICAS | Cobrança do PCJ é modernizada
09/07/2018
MICROPOLUENTES | Projeto avalia influencia em rios