16/12/2016 MUDANÇAS CLIMÁTICAS

363 empresas informam emissões diretas

Segundo a edição 2016 do relatório ET Carbon Ranking - a análise pública mais abrangente das maiores empresas listadas do mundo pela sua eficiência em carbono – quase metade das 800 maiores empresas listadas no mundo divulgam suas emissões. Destas, 363 informaram totalmente as emissões diretas de suas operações e da eletricidade que usam. Segundo o estudo, estas empresas conseguiram aumentar sua eficiência em carbono em uma média de 15% entre 2015 e 2016, com resultados surpreendentes: a redução de 360 milhões de toneladas de CO2 obtida equivale às emissões anuais da Turquia. Se os 50% menos eficientes atingissem apenas a intensidade média de carbono para seu setor, haveria um corte adicional de 1,4 bilhão de toneladas de CO2 – o mesmo que o Japão emite ao longo de um ano.

O levantamento revela que das 2 mil maiores empresas mundiais, as 1.000 menos intensivas em carbono têm gerado melhores resultados que as 1.000 mais intensivas em carbono nos últimos cinco anos, ou seja, os investidores podem ajudar a conduzir a descarbonização da economia e ganhar dinheiro ao mesmo tempo se mudarem seus investimentos para favorecer empresas com níveis de eficiência de carbono acima da média.

Do grupo das 363 empresas, apenas 27 poderiam, juntas, economizar 1,2 bilhão de toneladas de CO2 se atingissem a intensidade média de carbono em seus setores: Elétrico; Utilidades; Exploração e Produção de Petróleo e Gás; Materiais de Construção; Produtos Quimicos; Setor Imobiliário e Fundos de Investimento. O ET Carbon Rankings Universe mede a eficiência de carbono das 2.000 maiores companhias listadas do mundo, que representam US$ 45 trilhões em capitalização de mercado - 85% do valor do mercado mundial - e respondem por mais emissões diretas do que os EUA, Canadá e União Europeia juntas.

Sam Gill, co-fundador e CEO da ET Index Research, afirmou: "As emissões são vitais para entender toda a extensão da exposição de uma empresa ao risco de carbono porque geralmente representam, de longe, a maior parte de sua pegada de carbono. É praticamente impossível imaginar um cenário em que as empresas com uso intensivo de carbono, em toda a cadeia de valor, não sejam penalizadas após o Acordo de Paris”. Os ET Carbon Rankings são baseados em dados divulgados publicamente, revisados por cada empresa e supervisionados por um painel independente de garantia de qualidade. Onde as empresas informam informações incompletas, o Índice ET aplica o maior valor de emissões relatado de qualquer empresa do mesmo setor. 

Veja também

16/11/2017
MUDANÇAS CLIMÁTICAS | Parceria Global irá ajudar 400 milhões até 2020
09/11/2017
MUDANÇAS CLIMÁTICAS | Ferramenta ajuda a acompanhar avanços
07/06/2017
MUDANÇAS CLIMÁTICAS | Australianos vêem modificações nos GEE’s
07/06/2017
ACORDO DE PARIS | Apesar de Trump, americanos aderem às metas
05/06/2017
MUDANÇAS CLIMÁTICAS | EUA saem do Acordo de Paris. China e UE assinam.
15/05/2017
MUDANÇAS CLIMÁTICAS | Relatório mostra pressão da indústria
21/03/2017
ESTADOS UNIDOS | General alerta sobre mudanças climáticas
15/03/2017
MUDANÇAS CLIMÁTICAS | Torre Atto vai coletar dados na Amazônia